24 de julho de 2009

DiZ-mE

Como se prende um olhar?
Sim, diz-me. Que os meus olhos são conchinhas do mar
Prontos a abrir-te o corpo e voar...


Como se diminui o tamanho de um abraço?
Sim, diz-me. Que os meus gritos são do manto deste regaço
Que em nós se faz mundo pedaço a pedaço...


Como se constrói um furacão?
Sim, diz-me. Que a minha pele sangra nos poros da mão
E não páro de escrever, ao sabor da nossa canção...


Como se pede um desejo?
Sim, diz-me. Que de tão calado que ando nem te vejo
E nem sei se existes ou se foste apenas um beijo...


Como se diz amor?
Sim, mostra-me. Que a minha voz só tem sabor
Se tiver os aromas do teu calor!

11 comentários:

prAia em Mim disse...

diz-me...quem te faz assim inspirar...em poema de encantar...

adorei!
um bj

Maria disse...

Como se alimenta a paixão?
Sim, diz-me. Que o meu olhar caiu na tua mão
E eu não sei como apagar este vulcão...

Abraço-te, tanto...

Delirius disse...

Com palavras como as tuas :)))
Abraço!

A CONCORRÊNCIA disse...

Fixe mesmo seria dizer estas e outras palavras pessoalmente, será que logo mais ? senão for possível paciência ... resta-me apenas desejar-vos (a ti e toda a tua família) um bom fim de semana !!!

Sorrisos para todos vocês !!!

maré disse...

e o amor, diz-se?

Sim! basta o olhar.

Um beijo Pedro

Maria disse...

Estas tuas palavras sufocam-me. De intensas. Quase a rebentar.
Eu digo-te. E mostro-te. Mas tens de guardar segredo...

Um beijo, quente
(do calor!!!!!)

ss disse...

:)

Som do Silêncio disse...

(o comentário anterior era meu)

Pensando bem, quero apenas dizer que GOSTEI MUITO deste texto.
rsrsrsrs

Aplaudo sentada, em pé, de lado, de costas :)

Beijo meu

Apenas eu disse...

Também eu queria saber a resposta a estas perguntas, por sinal deliciosas, se eu soubesse dizia-te...
Mas estive a pensar, e acho que não se consegue prender um olhar...
impossivel é diminuir o tamanho de um abraço, porque ele tem vontade própria...
O furacão, já nasce furacão...
O desejo surge...
e o amor não se diz ... faz-se...


Beijos Pedro
(ainda vou trabalhar :( sou uma escrava! ainda falaram da escrava Isaura, e a escrava M....?)

Lídia Borges disse...

A imensidão das coisas "pequenas" dita de forma soberba...

Tão lindo!


Um beijo

Filoxera disse...

Admiro imenso esta capacidade de transmitir em palavras o que se sente, desta forma tão cativante...
Um beijo.

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...