11 de julho de 2009

vEnToDeTeTeR




"Tenho um vulcão a ferver-me o peito/Pronto a levar-me ao infinito/Que a saudade é um caminhar desfeito/Que me arranca o silêncio e o grito/Versos e suores em ardor interdito/Tudo assim misturado, neste meu jeito/De ser vento forte em quente manto/Porque te tenho em mim... Porque te tenho tanto...."

7 comentários:

Lídia disse...

... nunca estamos sós. Os "tenho" das nossas vidas pintam o coração com cores de vida. Bj

Maria disse...

Passou por aqui uma breve aragem. De ti. Que o vento acalme o vulcão do teu peito. Porque te gosto assim. Porque te quero tanto...

Um beijo, Pedro

mariab disse...

e assim te retratas. como a tua poesia deixa adivinhar. e como gosto tanto...
beijo

Delirius disse...

Imenso sentir.
Lindo este poema!
Bj.

Nina disse...

Obrigada pela visita ao bloguinho :)

belos poemas vc tem aqui.

Apenas eu disse...

Tudo assim misturado...
Com todos os elementos...
O Vento só podia ser forte e o manto só pode ser quente...


Que o meu beijo chegue aí levado pelo meu Vento.

olivia disse...

...Quando louca escrevo poesias na parede do meu quarto!
E choro!
Uma feliz semana

LeGeNdA

Pac-man e suas princesas