16 de agosto de 2010

v0lTaDoTeMp0


Na volta do tempo outra vez
No perfume das palavras ditas assim
Seremos sempre o fogo que em nós se fez
Para deixar a alma a arder sem fim
Teremos o lugar eterno na luz do olhar
Esse, que se guarda no berço do passo por dar
Porque a viagem é feita de tanto...
Por isso é que tudo o que canto
Renasce como um rio no pensamento
Feito de abraço, voz e vento!

5 comentários:

OutrosEncantos disse...

Dos teus poemas, sempre um cantar de encanto.
Abraço, Pedro.

Maria disse...

Da ternura das tuas palavras me encho até (quase) rebentar...

Beijo-te, de uma das tuas margens.

OUTONO disse...

E canto ...rima com tanto...prazer em te ler...

Abraço!

Filoxera disse...

Como a vontade de quem quer viver
O fogo, como a vida, também se refaz
Se deixares que a voz te disperse o pranto
E permitires à alma sorver essa paz

Beijos.

Apenas eu disse...

tudo o que cantas renasce de ti, como se pedaços de ternura se soltassem, por isso te olhamos para dentro...entrando pela porta aberta dos teus olhos.
assim nos sentimos. envolvidos pela tua entrega e pelo nosso prazer.
(falo no plural, pois sei que que te ouviu, tal como eu, não ficou igual...)

beijos

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...