23 de novembro de 2010

fAlA-mE


Fala-me a solidão num silêncio mais
O mar, em nova tempestade
Grita o caminho por onde vais
E morre mais um pouco na tua eternidade...
.
Fala-me a solidão no teu olhar
Ternura que me ampara e abraça
Outro fogo, outra chaga de tanto chorar
Cada retalho do tempo que fica e não passa...
.
Fala-me a solidão no amor
Única semente do mundo inteiro
Por isso, de cada vez que me fala a dor
Volta-se a morte sem pouso derradeiro...

1 comentário:

Maria disse...

Se eu pudesse abraçar-te agora mesmo... chovia no teu ombro...

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...