23 de novembro de 2010

fAlA-mE


Fala-me a solidão num silêncio mais
O mar, em nova tempestade
Grita o caminho por onde vais
E morre mais um pouco na tua eternidade...
.
Fala-me a solidão no teu olhar
Ternura que me ampara e abraça
Outro fogo, outra chaga de tanto chorar
Cada retalho do tempo que fica e não passa...
.
Fala-me a solidão no amor
Única semente do mundo inteiro
Por isso, de cada vez que me fala a dor
Volta-se a morte sem pouso derradeiro...

1 comentário:

Maria disse...

Se eu pudesse abraçar-te agora mesmo... chovia no teu ombro...

LeGeNdA

Pac-man e suas princesas