21 de novembro de 2010

aSoNdAsVã0eVoLtAmSeMpArAr


Fica um vazio sempre que a onda se desfaz
Depois de abraçar a terra e os restos da areia,
Depois de enfeitar à solta cada esquina da sua teia,
Assim, num abraço eterno que tudo é capaz:
Cantar os gritos do vento e do passado
Colorir os poemas e a ternura imensa
Voar pela espuma sempre intensa
E nunca se sentir morto ou cansado.
É este ir e vir das marés, em semente
Que fazem do poeta e do vagabundo
Mais do que aquilo que se sente:
Transforma o tempo em algo ainda mais profundo
Com um cheiro ainda mais penetrante
Um toque ainda mais mágico de tudo inventar...
Porque cada onda faz da praia sua amante
Porque cada noite faz de mim o mar!

7 comentários:

Maria disse...

É no ir e vir das marés que encontro o poeta e o vagabundo
É no rebentar de cada onda que faço o meu despertar
Porque é dentro do mar que encontro e abraço o meu mundo
e na espuma das ondas que beijo conjugo o verbo amar.

Beijo de bom dia!

G... disse...

Até no que vai e vem sem parar existe o desejo de poder só estar.
Lindo.
Sempre.
Como sempre.
Beijo

FlorAlpina disse...

Nas palavras que nos unem...MAR...

Navegar à deriva leva-nos por vezes a sitios belissimos como este...

Bjs dos Alpes

Ailime disse...

Muito belo.
"Porque cada noite faz de mim o mar".
Sim, amigo, porque continua a amar.
Bjs.
Ailime

Apenas eu disse...

o tempo... sem dúvida profundo e relativo..

é bom ser mar, ser noite, ser chuva, ser vento, ser onda...

é bom o teu mar.

beijos Pedro.

OUTONO disse...

Pensaste e escreveste...no verbo do meu gostar....desse mar que vem e beija....que parte e abraça!
Obrigado...amigo de marés poesia, que aprecio e leio na procura de um sorriso!
Um AbrAçO!!!!!!!

António Gallobar disse...

Excelente este sentir poetico

Parabens adorei, vou voltar

Abraço

ChEgAdA

Falas-me das certezas do voo Do seguro porto da viagem Dos sorrisos e das lágrimas à passagem E de todas as pedras da caminhada. Ma...