13 de janeiro de 2012

CaNçÃo

Será vento, será mar
A janela que abro em ti
Forte o tempo que faço chegar
Mesmo quando não estou aqui

Sirvo um cálice de paixão
Por entre versos que a noite traz
Encho o leito em cada chão
E no amor que a gente faz

Canto a dor que dói e chora
Quando os rios ficam calados
Porque o medo de te ires embora
Sangra os meus passos já pesados

Será vento será mar
A janela que abro em ti
Forte o tempo que faço chegar
Mesmo quando não estou aqui

Pinto um sol e todo este céu
Nas planícies do abraço mais profundo
Que tudo pode ser teu e pode ser meu
Quando nos damos assim ao mundo

Danço-te o corpo como quem beija
Praias de viagens que nunca têm fim
Porque tudo o que um homem quer e deseja
É deixar-se ir quando se é amado assim

Será vento será mar
A janela que abro em ti
Forte o tempo que faço chegar
Mesmo quando não estou aqui






1 comentário:

Maria disse...

E o tanto que já se fez...
Sacaste-me um enorme sorriso.

Beijo-te.

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...