29 de janeiro de 2012

LáGrImAs0lTa

Levo nas águas cada minuto
O tempo é todo o meu respirar
Lágrima de um manto colorido e enxuto
Que cobre o meu peito só por amar

Os passeios, cais de viagens de mão dada
As janelas, abertos sonhos de nos pintar
Lágrima de sorrir os poros da madrugada
Que cantam a força que traz este acordar

Bom dia, novo dia a ferver já
Como um bailarino que se perde só por dançar
Lágrima minha, és o sangue que corre de cá para lá
Solto e quente, roda gigante sobre o nosso olhar!

2 comentários:

Ailime disse...

Amigo,
Muito belo e profundo o seu poema.
Que a esperança não abandone o seu olhar.
Bj.
Ailime

Carol disse...

Há muito que não te lia ... e já tinha saudades de o fazer ! :)

Beijocas grandes :)

Carol

LeGeNdA

Pac-man e suas princesas