6 de março de 2011

eSpErA


Deixa que o meu corpo dance perdido
Deixa-o ser rio, vento e mar

Que o meu sangue leva esse leito esquecido

À espera da noite para de novo te amar...

Deixa que o meu beijo te procure suavemente

Deixa-o ser flor, fonte a jorrar
Que o meu tempo é um certo mel que queima lentamente
À espera da noite para de novo te amar...
Deixa que cada verso meu seja um abraço mais

Deixa-o ser punho, manto, janela aberta de par em par

Que o meu amanhecer é um bombo que me cobre de sinais

À espera da noite para de novo te amar...
Deixa que a vida me envolva a pele seca e vazia

Deixa-a ser este fogo que se liberta para rebentar

No colo da tua ternura, que em mim alumia

Esta espera de uma noite em que de novo nos possamos amar...

2 comentários:

Maria disse...

Obrigada, Pedro...

OUTONO disse...

... a noite será...(anoitecerá)

Abraço!

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...