4 de março de 2011

FiCo


São silêncios em torno de um grito
Uma viagem feita tempo doce e aflito
Que se faz ao mar para regressar
Que regressa sem partir ou ficar
Nos silêncios que invento só para gritar...

São vazios cheios de mim
Pedaços de memória cantados assim
De punho erguido ao amor sem parar
De lágrimas em tempestades de par em par
Nos vazios que trago só para me inventar...

Fico. Sim. Fico.

3 comentários:

zmsantos disse...

Abraço-te, meu amigo, irmão!

Maria disse...

Também te abraço. Com toda a ternura e amor. Como se fosses um filho!

mariam disse...

Pedro,
...os teus 'vazios' são tão cheios!
Também fico.
Um grande abraço :)
mariam

PoDeSeR

Pode ser que os dias sejam apenas ilusões Pode ser que cada sonho se limite ao sumo das canções Pode ser que um poema consiga abrir o mar Po...