4 de fevereiro de 2008

InDiFeReNtE

Parece-me que nos calamos... Na penumbra de uma história sem fim. Para além da estrada. Por força da entrada.
Parece-me que a vigia se enganou... Se deixou ofuscar pelo reflexo das águas. Pelo ondular da corrente. Engasgada pelas margens.
Parece-me que não haverá mais palavras. Nem beijos.
Porque tudo o que parece nos consome as pontes.

7 comentários:

sombra e luz disse...

Pedro... muita água rolará ainda sob as pontes... e muitas palavras estão ainda por dizer... nem tudo é o que parece e gosto mais quando você enche o céu do seu blog de luz e cor...

(deixe lá... beijinho...:)

Manuela disse...

Porque tudo o que parece nem sempre é...
E os rios estão esganados pelas margens...

Maria P. disse...

Que não se quebrem as pontes...

Beijo*

Som do Silêncio disse...

Pois parece!

Maria disse...

Mas há também o que não parece, e que fortalece as pontes...

Beijo, Pedro

as velas ardem ate ao fim disse...

Sabes Pedro, preciso de dar um pontapé na indiferença qie me consome dia após dia.

bjo

laura disse...

gosto muito desta imagem...

LeGeNdA

Pac-man e suas princesas