17 de fevereiro de 2008

mAnTa


Sou metades de tantas metades que de cada vez que uma palavra me assalta roubo-me mais um pouco...

7 comentários:

Paula disse...

Somos realmente partículas infinitamente pequenas! Inventamos palavras para nos afirmarmos na nossa existência! Mas quem disse que as palavras nos descrevem a alma? A alma é indizível! Quantos poetas e filósofos a tentaram descrever! E fica sempre aquele mistério!
Provavelmente as palavras são o agasalho feito intelecto de um corpo desejoso de voar até à eternidade! São retalhos da manta que nos cobre a todos sobre a forma de humanidade!

Obrigada pelo estímulo que me proporciona ler o seu blog!
Abraço

Maria disse...

Aconchego...

Beijo, Pedro

Maria disse...

Ser metade. Será não ser completo ou ser mais que um?

Beijinho.

Alma Nova disse...

Pedro, venho essencialmente para pedir desculpa porque o teu comentario foi inadvertidamente apagado ao reeditar o post. Espero que voltes.
Um abraço.

Maria P. disse...

Manta-pele, metade-una...

Beijos*

gabriela r martins disse...

o pouco
muito
quente
o muito
pouco
é

meia palavra

ao vento

.

poema

.
um beijo

laura disse...

gostei...

aTuAaUsÊnCiA

A tua ausência morde-me o tempo e já não sei muito bem contar. Contar os dias que faltam ou contar os passos obrigatórios. Sabes que o me...